BNDES aprova consolidação entre Suzano e Fibria

SÃO PAULO  –  O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a consolidação entre Fibria e Suzano Papel e Celulose, as duas maiores produtoras mundiais de celulose de eucalipto. As companhias voltaram a conversar sobre a combinação de suas operações no segundo semestre de 2017 e as negociações ganharam ritmo nas últimas semanas. A Paper Excellence, dos mesmos donos da Asia Pulp and Paper (APP), também estava na disputa e chegou a apresentar uma nova proposta pela Fibria na quarta-feira. Por meio da BNDESPar, o banco de fomento detém pouco mais de 29% de participação na Fibria e quase 7% na Suzano. “As negociações foram conduzidas em comum acordo com a Votorantim S.A., com quem a BNDESPar compartilha o controle da Fibria”, diz o banco de fomento, em comunicado emitido pouco depois das 23h de quinta-feira. O banco informa que receberá “parte significativa” do pagamento por sua participação em dinheiro, ou cerca de R$ 8,5 bilhões, além de ações da companhia resultante, com a “perspectiva de valorização a partir dos ganhos sinérgicos e de produtividade advindos da transação”. As sinergias de uma combinação entre Suzano e Fibria estão estimadas em mais de R$ 10 bilhões.

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.valor.com.br/empresas/5388649/bndes-aprova-consolidacao-entre-suzano-e-fibria ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

Comentários

Top
Inline
Advertisement
Inline
Advertisement