Incrível: Em Cariacica mulher descobre gravidez 1 h antes do parto e bebê nasce com 2 kg


Menino Emanuel nasceu de parto normal com 2,490 kg, no domingo (3).
Com problema no coração, mãe disse que crê em milagre de Deus.

Gabriela Ribeti Da TV Gazeta

Uma professora de 30 anos descobriu que seria mãe 1h15 antes do parto. Celimar Ribeiro mora em Cariacica, na Grande Vitória, e, no domingo (3), deu à luz ao Emanuel.

O menino nasceu de parto normal com 2,490 kg. Os médicos disseram que Celimar estava com oito meses de gestação.

A mãe contou que ficou desesperada ao saber da gravidez, porque tem um problema no coração.

Após o nascimento, o marido e ela só pensam em comemorar o crescimento da família com o primeiro filho do casal. “É um milagre de Deus”, disse a mãe.

Medicina
A ginecologista Kárin Rossi disse que é possível a mulher não notar os sintomas da gravidez, que podem ser confundidos. Ela relata o que pode acontecer:

– A mulher pode estar envolvida com as coisas da casa, com outros filhos, com o trabalho e podem passar desapercebidos alguns sintomas;

– A falta de menstruação pode estar associada a outras doenças;

– O crescimento abdominal pode estar associado ao ganho de peso.

Descoberta
A professora contou que estava na igreja quando começou a passar mal. “Era umas 21h e comecei a sentir dores nas costas. Fui para casa e a dor foi para o pé da barriga e começou a se intensificar”, disse.

“Decidimos ir ao médico porque estava insuportável. Quando chegamos ao PA, o médico me examinou e falou  que eu estava grávida, mas eu disse a ele que seria impossível estar grávida”, comenotu.

Celimar disse que fez um exame para confirmar a gazidez. “Meia-noite saiu o resultado do exame: positivo. Ele me deu um remédio na veia e me mandou embora, mas eu não conseguia entrar no carro porque veio a dor forte de novo e eu não conseguia levantar a perna para entrar no carro”, relatou.

A mulher foi para o hospital maternidade de Vila Velha, o Himaba, onde a criança nasceu minutos depois.

Ela disse à reportagem que passou oito meses grávida sem desconfiar que esperava um bebê. “Minha barriga não cresceu, só ficou dura. Não tive nada. As roupas todas serviram e não tive cansaço, enjoo, nada”, relatou Celimar.

Menstruação
A professora disse que nunca esqueceu de tomar o anticoncepcional e tinha ovário policístico o que deixa a menstruação irregular.

“Como eu tenho ovário policístico, desde os 13 anos quando eu me formei, a minha menstruação é toda desregulada. Então para mim, era totalmente normal a menstruação ficar sem vir”, contou.

Coração
A mãe da jovem desconfiava da gravidez. “A minha mãe brincava que eu estava grávida, mas brincando por achar que podia se algo sério já que tenho um problema no coração”, disse.

Há seis anos, ela passou por uma cirurgia cardíaca e teve que colocar uma válvula mecânica no coração. Na época, o médico foi claro que ela não poderia engravidas, seria um risco muito alto para ela e para o bebê.

“Poderíamos morrer eu e a criança ou um ou outro. A criança  poderia vir deformada por causa do remédio que eu tomo. Tudo o que o cardiologista tinha falado veio na minha mente. Foi desespero pelo meu problema no coração. Fiquei desesperada”, relatou.

Com os filhos nos braços e saudável, Celimar acredita em um milagre. “É uma prova de Deus que ele está aqui conosco, na nossa vida. Que Deus sempre prepara tudo. Foi um milagre na minha vida”, afirmou.

Após o nascimento do bebê, mãe diz que acredita em milagres (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Após o nascimento do bebê, mãe diz que acredita em milagres (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Outro caso
A médica já teve a experiência de examinar uma paciente num caso como esse. Segundo ela, a grávida procurou atendimento acreditando estar com uma crise renal.

“Eu tive um caso, quando eu estudava em São Paulo, de uma paciente que chegou com uma crise de cólica renal. Quando eu fui avaliar, ela estava tendo contrações. Eu fiz o toque e ela realmente estava com dilatação, ganhou o neném e ficou tudo bem”, contou.

Fonte: G1-ES

sample-ad

Comentários

POST A COMMENT.