Indígenas ocupam área da Suzano contra plantio de eucalipto em Corumbau

Indígenas das aldeias Corumbauzinho, Águas Belas, Pé do Monte, Aldeia Nova e caboclos da Comunidade do Craveiro, além de moradores do Assentamento Três Irmãos, na região do Corumbau, no litoral norte do município de Prado, ocuparam na manhã desta segunda-feira (21/09), uma área, que segundo os indígenas, é pertencente à empresa Suzano Papel e Celulose de Mucuri. Os indígenas também apreenderam pelo menos 10 veículos pesados da empresa que estavam destruindo a mata nativa, preparando a terra para o plantio do eucalipto.

suzad

A área compreende uma faixa de 13 quilômetros de largura, entre as aldeias Corumbauzinho e Águas Belas e cerca de 30 quilômetros de comprimento. Conforme Gilberto Pataxó, indígena responsável pela comunicação do movimento, o motivo da ocupação e apreensão das máquinas é para evitar que a Suzano plante mais eucalipto às margens dos rios e continue destruindo a Mata Atlântica naquela região e o eucalipto permaneça secando o solo e esgotando o lençol freático. Os nativos reclamam do perigo e o risco à saúde dos indígenas que a empresa expõe com a aplicação de veneno, que é pulverizado em suas plantações.

suzad2Gilberto Pataxó alega que a empresa Suzano nunca conversou nem discutiu o problema com as comunidades tradicionais do entorno e atualmente está desmatando uma grande área de terra para ampliar sua plantação de eucalipto ao lado das aldeias, o que para os índios vem sendo desastroso, especialmente com os impactos causados pela monocultura do eucalipto, prejudicando a produção de outras plantas próximas, por problemas de consumo de água e secando áreas de nascentes e margens de rios, lagos e outras lâminas d’água na região. Máquinas pesadas da Suzano que segundo os índios estavam destruindo a região.

suzad3

A ocupação está sendo realizada por mais de 300 famílias de indígenas. Inclusive índios do Parque Nacional de Monte Pascoal em Porto Seguro, atravessaram o rio Corumbau e se juntaram os irmãos de etnias em solidariedade e apoio aos indígenas da região. A informação é que na tarde desta segunda-feira (21), tropas militares foram chamadas pela Suzano para tentarem intervir na ocupação, mas não obtiveram êxito. Pela complexidade do problema, os índios devem permanecer ocupando a área até que a justiça seja provocada para oferecer uma decisão. (Por Athylla Borborema).

Fonte:  Teixeira News / 23-09-2015

Comentários

Top
Inline
Advertisement
Inline
Advertisement