Mãe grava médico mexendo em celular durante atendimento, no ES

http://s01.video.glbimg.com/x360/4157828.jpg

Caso ocorreu no Hospital Geral de Linhares, no Norte do estado.
Filho da dona de casa estava com dores, febre e um inchaço no braço.

 

Uma mãe gravou um vídeo de um médico mexendo no celular ao invés de atender uma criança, no Hospital Geral de Linhares (HGL), região Norte do estado. Após ter conhecimento das imagens, a Secretaria Municipal de Saúde proibiu o uso do aparelho na rede pública durante os atendimentos.

A gravação foi feita pela dona de casa Kelly Ferreira, na segunda-feira (4). Ela levou o filho de nove anos ao hospital porque ele estava com dores, febre e um inchaço no braço.

Ao chegar no local, ele passou pela triagem na recepção e aguardou o atendimento por mais de 40 minutos. Foi quando ela e outras duas mães perceberam que o médico estava sozinho no consultório mexendo no aparelho celular.

“Esperamos muito tempo e, depois de perder a paciência, uma delas falou em chamar a imprensa. Provavelmente ele ouviu, porque rapidamente chamou a mulher que estava na minha frente”, contou Kelly.

Depois de atender o paciente em poucos minutos, o médico chamou a dona de casa e o filho dela. E mais uma vez, fez eles esperarem enquanto mexia no telefone.

“Foram cerca de 20 minutos dentro da sala e ele praticamente não olhou na minha cara. Foi fazendo algumas perguntas, mas sempre olhando para o telefone. Em um momento ele pediu para o meu filho se aproximar e colocou a mão no braço dele. Disse que realmente estava quente e voltou a olhar para o celular”, explicou.

Revoltada com o descaso, Kelly gravou um vídeo de um minuto e meio que mostrar o médico se entretendo com o celular, enquanto a criança aguardava pelo diagnóstico ao lado da mesa. O vídeo foi compartilhado por mais de 1 mil pessoas nas redes sociais.

De acordo com Kelly, o médico não prescreveu nenhum tipo de exame ao menino e nem mesmo fez o básico no atendimento.

“Ele precisava saber o peso do meu filho para prescrever o remédio, mas não foi capaz de levantar para olhar a balança. Eu que tive que olhar”, disse.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que tomou as medidas administrativas cabíveis e está apurando o caso.

De acordo com o secretário de Saúde, José Roberto Macedo Fontes, o uso de aparelho não será mais permitido durante os procedimentos médicos e ambulatoriais no Hospital Geral e em toda a rede municipal de saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *