Mucuri promove Conferência da Juventude

Realizada na quadra da Escola Municipal Deputada Ana Oliveira, no distrito de Itabatã, a 2ª Conferencia Municipal da Juventude de Mucuri, contou com a participação de mais de 300 jovens, discutindo diversos temas que pontuam o seu cotidiano. Jovens de todos os distritos e povoados, comunidades rurais e urbanas, fizeram valer a busca pelo protagonismo e pautaram diversas demandas como prioridades. O município de Mucuri, juntamente com Camaçari, foram os únicos a realizarem pré-conferências. Em Mucuri, cerca de mil e duzentos jovens foram mobilizados em cinco pré-conferências e a Conferência. Prezando pela qualidade das discussões, a comissão organizadora local selecionou de forma criteriosa os orientadores dos grupos temáticos. Para o Secretário de Juventude de Mucuri, Cleuber Rios, mobilizar tantos jovens não foi o ponto alto da conferência, mas “o ápice foi ter todos os jovens mobilizados e engajados em produzir um material, acreditando verdadeiramente que era possível, tanto que construíram um documento riquíssimo”. A primeira Conferência da Juventude foi realizada em 2011. “Já naquela época ficou evidente o tamanho do engajamento dos jovens do município: cerca de 600, a primeira colocação no ranking nacional. Agora, o município volta a promover uma Conferência com números expressivos, já sendo a maior do estado da Bahia”. O ouvidor geral do estado da Bahia, Yulo Oiticica, que ministrou uma fala com plenária aberta, acredita que mobilizações como essa é o que faz acreditar mais e o tempo todo na força da juventude. “Não se pode esperar de um jovem, independente do espaço ocupado, nada menos do uma entrega total como foi presenciado na Conferência”, ressaltou. Para o coordenador de Juventude do Território de Identidade Extremo Sul da Bahia, Neuzivan dos Santos, Mucuri vive um momento de intenso envolvimento da sua juventude nas tomadas de decisões do município. Ele lembrou que os jovens correspondem a 35% da população de Mucuri e cobrou uma maior participação junto as políticas públicas de juventude tanto na elaboração quanto na implementação do seu público alvo. “Ouvir o jovem sobre o que ele quer e como ele quer é um princípio de valorização do seu protagonismo”. José Carlos Mattoso, assessor da Pastoral da Juventude, corroborou dizendo que “a força do jovem é a força matriz que move o mundo. Mucuri está em um outro nível quanto à mobilização juvenil. O que precisa é de fato e de direito fazer valer esse reconhecimento”. (Com informações de Flávio Poubel).

Fonte:  Teixeira News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *