Operários morrem em acidente em terminal da Petrobras em Aracruz

Vítimas trabalhavam no terminal aquaviário de Barra do Riacho.
Eles faziam montagem de andaime, sobre o mar, e concreto cedeu.

Dois trabalhadores da empresa Espiral Engenharia, que faziam a manutenção do Terminal Aquaviário de Barra do Riacho (TABR), morreram em um acidente, na tarde desta terça-feira (7). A empresa presta serviços para a Petrobras. As vítimas eram Alex Ribeiro, 39 anos, e Oseias Damasceno, 27. O primeiro morava em Aracruz e o segundo, na Serra.

A Petrobras foi procurada pelo G1 e disse que lamenta os falecimentos dos funcionários da empresa terceirizada. Uma comissão interna foi instaurada e está investigando as causas do acidente. A empresa disse, em nota, que a “Transpetro está prestando toda a assistência necessária à empresa terceirizada”.

Segundo o Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo (Sindipetro-ES), os profissionais faziam a montagem de um andaime na ponta leste do píer, sobre o mar, para fazer a manutenção na instalação oceanográfica do terminal.

O sindicato informou que o concreto cedeu e o andaime foi parar dentro da água, levando junto os trabalhadores, que estavam presos à estrutura pelo cinto de segurança.

Ainda de acordo com o sindicato, a Permissão de Trabalho (PT) havia recomendado que os funcionários ficassem apenas de colete, sem se amarrar pelo cinto no andaime.

Ambos foram resgatados já sem vida pelos próprios colegas de trabalho. “Uma hora após o acidente, ainda não havia chegado qualquer tipo de socorro”, diz a nota do Sindipetro-ES.

“Infelizmente essa foi uma tragédia anunciada, por falha de gestão, pois o TABR não tem nenhuma estrutura de resgate. Não foi pensada uma estrutura para trabalhar sobre o mar e não há nenhum resgatista perto. Se não fosse um funcionário da Transpetro, os trabalhadores estariam no mar até agora”, relata a nota do Sindicato.

Alex Vieira Ribeiro, de 32 anos (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)Alex Vieira Ribeiro, de 32 anos
(Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Em nota, o Sindipetro-ES diz que vem cobrando a Transpetro, há mais de um ano, uma ambulância no local. “Não podemos permitir que mais trabalhadores se submetam a serviços que não tenham passado por uma análise de risco e exigimos que haja o mínimo de estrutura de segurança e socorro no local. Por isso, o sindicato vai realizar uma paralisação amanhã de manhã no TABR, a partir das 7h”.

Família
O primo de uma das vítimas, Wallace Vieira, disse ao G1 que aguarda um contato da empresa.”A única coisa que eu sei informar é exatamente é que foram dois trabalhadores que morreram. Até agora estamos esperando e nenhum assistente social veio até aqui”, contou

Vítimas (segundo o sindicato)
– Alex Ribeiro (conhecido como Fred), 39 anos
– Oseias Damasceno, 27 anos

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *