Posto da Mata: CAEMA desmonta rinha de briga de galos com mais de 130 pessoas e 98 galos

Teixeira de Freitas: Foi apresentado na sede do Plantão Regional, na cidade de Teixeira de Freitas, por policiais militares da CIPE/MA (CAEMA) o resultado de mais uma operação de combate a crimes ambientais. Na noite do último sábado, 15 de agosto, policiais da CAEMA receberam uma denúncia anônima de que na Rua Mucuri, em Posto da Mata, funcionava a prática ilegal de rinha de briga de galos. Chegando ao local, os militares comprovaram a veracidade dos fatos, e encontraram a rinha em pleno funcionamento.

No local, estavam 138 pessoas, entre organizadores, apostadores e proprietários dos galos e a quantia de R$ 7.367,00 (sete mil trezentos e sessenta e sete reais). Durante oitiva, os militares chegaram aos nacionais Evaldo César Cardoso dos Santos, 53 anos de idade, residente na Rua Outono; Rondinelly Pratos de Lima, 33 anos de idade, residente na Rua Castanhal, no Bairro Mangueira; Charles Ramos Lacerda, 28 anos de idade, residente na Rua Nanuque, no Bairro Mangueira e Ademir Bonfim Silva, 31 anos de idade, todos residente em Posto da Mata; além de Ananias Bina dos Santos Júnior, 43 anos, morador da Avenida Jorge Teixeira, no Bairro Candeias, em Vitória da Conquista, como sendo os responsáveis pelo evento.

Ao realizarem revista pessoal, os militares encontraram em poder de Charles, a quantia de R$ 8.335,00 (oito mil trezentos e trinta e cinco reais), 01 folha de cheque do HSBC no valor de R$ 2.000 (dois mil reais), 01 folha de cheque do Santander no valor de R$ 400,00 (quatrocentos reais) e 01 talão de cheque.  O Ademir Bonfim, Rondinelly Prates e Evaldo César foram identificados como sendo os principais organizadores. Já Ananias Bina seria o juiz das brigas de galo e o Charles, o apostador. Devido ao grande número de pessoas no local, não foi possível a condução de todos, mas todos foram qualificados nos autos.

Após uma varredura no local, os militares encontraram 98 galos de raça, preparados e treinados para briga. Dentre os 98 animais, 25 estavam mortos, vários feridos e alguns mutilados. Além dos galos, os militares encontraram; 01 saco preto com 34 capas; 01 balança de precisão; 01 punhal; 13 maletas com materiais cirúrgicos; 01 gaiola; 02 caixas de luvas reidratante; 06 tubos de esparadrapos; 04 tubos de vitaminas para aves; 21 toalhinhas; 10 arcos de serra (tico tico); 01 mala preta; 01 tambor (cercado metálico para os duelos); 10 pacotes de anilhas; 07 pacotes de espora; 12 bolsinhas com bicos metálicos; 64 tesouras de arremate; 01 balde metálico; 24 protetores de canela e algumas malas com peças de roupas.

Durante a madrugada, na delegacia, mais 21 galos morreram devido aos ferimentos das brigas. O caso foi apresentado ao delegado titular, Kleber Gonçalves, que lavrou contra os conduzidos, um TCO e todos deverão ser apresentados em juízo para as devidas providências. Os 52 galos sobreviventes foram entregues a Rondinelly Prates, que se comprometeu a encontrar um local apropriado para os animais, pois a Delegacia de Teixeira e nem a de Nova Viçosa possuem condições de custodiar os animais. E como os animais não podem ser criados juntos pois possuem extinto de briga, precisam de um espaço adequado.

Por: Rafael Vedra/Liberdadenews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *